Surfe pode virar modalidade olímpica em 2020

10986651_838821642875965_6287946961200918899_o

O surfe pode vir a ser aceito como uma modalidade olímpica já em 2020, na Olimpíada de Tóquio, no Japão. O tema está sendo estudado pela Comissão Nacional de Atletas, do Ministério do Esporte, mediante a participação do campeão brasileiro de surfe Rico de Souza.

Segundo o surfista, a comissão está trabalhando para que o esporte consiga atender à burocracia de certos requisitos técnicos até a Olimpíada de 2020.

Enquanto o projeto é desenvolvido, o Espaço Cultural Furnas abriu na sexta-feira (13) em sua sede, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, uma mostra reunindo parte do acervo do Museu de Surf Rico.

A exposição, aberta para visitação até 12 de junho, 65 pranchas de surfe que pertenceram a Rico de Souza e também a campeões nacionais e internacionais do esporte, além de 100 fotos que narram a história do surfe desde os anos de 1960 até hoje.

“Há mais de 30 anos, eu venho colecionando pranchas, por influência de Randy Rarick e da cultura havaiana que trabalha essas peças” – disse Souza.

A exposição coincide com a realização, na zona oeste da cidade, da etapa Rio de Janeiro (Rio Pro) do Circuito Mundial de Surfe, que reúne a elite do surfe mundial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *