Praias brasileiras buscam certificação ambiental internacional

 

Depois da polêmica envolvendo a qualidade das águas da Baía de Guanabara, Lagoa Rodrigo de Freitas e Praia de Copacabana para a realização de atividades esportivas dos Jogos Olímpicos Rio 2016, praias e marinas brasileiras estão disputando com candidatos de outros países do Hemisfério Sul a certificação internacional do selo Bandeira Azul.

O certificado simboliza a responsabilidade socioambiental e promove o uso sustentável das áreas costeiras (marinhas e de água doce), por meio de ações de educação e informação ambiental, qualidade da água e balneabilidade, além de segurança dos usuários e gestão ambiental.

Ao todo estão concorrendo 7 praias e 2 marinas. Os locais passaram pelo aval do comitê do programa, que reconhece internacionalmente litorais turísticos seguros e ambientalmente preservados.

Do total, 5 são novas candidatas:

  • Praia de Palmas (Governador Celso Ramos, SC),
  • Praia de Ponta de Nossa Senhora do Guadalupe (Salvador, BA),
  • Praia do Remanso (Rio das Ostras, RJ),
  • Lagoa do Peri (Florianópolis, SC)
  • Lagoa do Iriry (Rio das Ostras, RJ).

 

E duas aspiram a renovações do título, pois já têm bandeiras azuis hasteadas:

  • Praia do Tombo (Guarujá, SP)
  • Prainha (Rio de Janeiro, RJ).

 

Duas marinas também se candidataram para renovação:

  • Marina Costabella (Angra dos Reis, RJ)
  • Marinas Nacionais (Guarujá, SP).

 

De acordo com a coordenadora-geral de Sustentabilidade do Ministério do Turismo, Isabel Barnask, com o objetivo de promover a sustentabilidade, o Ministério do Turismo brasileiro organiza iniciativas voltadas à educação ambiental, como o Passaporte Verde, que incentiva o turismo responsável com a distribuição de material educativo. “O Ministério do Turismo não enxerga o crescimento do turismo que não seja aliado à sustentabilidade. Então, a gente vê isso como um papel do Ministério – desenvolver esse turismo de forma sustentável, preservando o meio ambiente. Para nós é um desafio de fazer o turismo crescer, mas crescer de forma sustentável.”

As praias candidatas vão precisar passar por um júri internacional, que conta com várias organizações, entre elas a Organização Mundial do Turismo. A decisão final acontecerá num encontro em setembro na Dinamarca. O resultado final deverá sair no início de outubro.

O hasteamento das bandeiras nas praias vencedoras vai ocorrer entre 1.º de novembro e 15 de dezembro deste ano. No Brasil, a primeira certificação da Bandeira Azul foi dada à Praia de Jurerê, em SantaCatarina, na temporada do programa de 2009/2010.

 

 

Fonte: http://br.sputniknews.com/brasil/20150806/1788111.html#ixzz3iBOLsbTh

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *