PENSE EM DEUS

Faz alguns anos, meu irmão mais novo e eu entramos num mar bastante difícil. Ondas de uns 2 metros, período das séries bastante próximos, séries entrando em toda a praia, quase todas “fechadeiras”… e dois surfistas (nós) fora de forma (e sem noção, naquele momento). A entrada foi fácil.

A praia tinha um canal com uma correnteza forte e não precisamos nem remar muito para chegar no outside. Neste percurso, nos chamou a atenção uma frase escrita no costão de pedras: “pense em Deus”.

Uma vez no outside, procuramos nos posicionar… o problema é que a única posição que encontramos foi na “máquina de lavar roupa”. O primeiro impacto foi uma onda que fechou bem em cima de nós. Depois dela, os espumões das quatro ondas seguintes fizeram o resto do serviço de “amolecer” os braços e tirar o fôlego. Deu tempo de pegar a prancha, remar para o outside e chegar na zona de impacto bem na hora em que entrou a série seguinte… não lembro quantas ondas foram desta vez, nem se tentamos entrar mais uma vez. Surrados pelo mar, fomos cuspidos para fora com vida.

Na areia, meu irmão olhou para as pedras do costão, leu a frase mais uma vez “pense em Deus”, olhou para mim e disse “estava pensando nele o tempo todo”.

Naquele dia, ganhamos dois ensinamentos importantes:

1) Mar grande e difícil é só para quem está em dia com as condições físicas, psicológicas e de nível de surf.

2) Nosso pensamento deve estar sempre voltado para Deus; nosso coração deve sempre estar atento ao que Ele diz de nós e para nós.

Este segundo ensinamento aprendido quer nos ajudar não só quando enfrentamos mares difíceis, mas quando enfrentamos também dias difíceis.

A quem ouvimos e em quem depositamos nossa confiança em tempos difíceis? Quem ocupa nosso pensamento em dias de dificuldades?

Este novo ano inicia com vozes de especialistas em política e economia anunciando mais um ano de crise, de dificuldade, de desemprego. Mas a voz de Deus nos diz em Jesus Cristo e lembrem-se disso: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos (Mateus 28.20). A quem ouvimos e em quem depositamos a confiança?

Há muitas vozes por aí falando de nosso valor e dizem que não valemos muita coisa, só enquanto tivermos alguma utilidade, ou enquanto pudermos consumir este ou aquele produto, ou se aderimos a esta ou aquela moda e assim por diante. Mas a voz de Deus nos diz tu és precioso e honrado aos meus olhos (Isaías 43.4). A quem ouvimos e em quem depositamos a confiança?

Há vozes por aí dizendo que somos fracassados e perdedores. Mas Deus diz que em todas essas situações (sofrimentos, dificuldades, perseguição, fome, pobreza, perigo ou morte cf. v.35) temos a vitória completa por meio daquele que nos amou (Romanos_8.37). A quem ouvimos e em quem depositamos a confiança?

Há vozes por aí dizendo que o peso de nosso erro e de nossas culpas nos acompanharão por esta vida (e quem sabe ainda outras). Mas Deus diz o próprio Cristo levou os nossos pecados no seu corpo sobre a cruz a fim de que morrêssemos para o pecado e vivêssemos uma vida correta. Por meio dos ferimentos dele vocês foram curados (1 Pedro 2.24). A quem ouvimos e em quem depositamos a confiança?

Às vezes temos que ouvir vozes que dizem para nós ou para queridos nossos, você tem apenas três meses de vida. Mas Jesus Cristo diz eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra viverá (João 11.25). A quem ouvimos e em quem depositamos a confiança?

Em nossa vida, nem sempre temos um “mar” fácil. Muitas vezes enfrentamos “pedreiras”.

Ser cristão não significa estar livre de dias difíceis, com problemas e dor. Mas significa poder contar com a presença fiel de Jesus Cristo. Com sua presença amorosa, Jesus dá livramento, conforta, fortalece, ampara, auxilia, dá a sua paz… tudo conforme a Sua boa vontade.

Por causa da fidelidade de Jesus, ouçamos sua voz, depositemos nEle nossa confiança e deixemos que esta certeza nos acompanhe.

Certamente teremos que lutar mais este ano. Mas certamente, conforme promessa de Deus, Ele nos acompanhará com seu amor e seu cuidado. Se Deus está do nosso lado, quem poderá nos vencer? Ninguém! Porque ele nem mesmo deixou de entregar o próprio Filho, mas o ofereceu por todos nós! Se ele nos deu o seu Filho, será que não nos dará também todas as coisas? (Romanos 8.31-32).

 

Por: Marcelo Jung

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *