Mais Cristo e menos eu!

Photo: Roy Harley (royharley.com)

11754402_837442573013872_6297386355391742261_o

No calendário do circuito mundial chegou a vez da famosa etapa de Jeffrey´s Bay. Famosa por ser realizada em uma onda de sonho. Famosa pela presença de tubarões na área e não muito tempo atrás, essa etapa era famosa pela ausência de tops do circuito (o mesmo acontecia com outra realizada em Durban, também na África do Sul, o Gunston 500).

 

Surfistas profissionais como Tom Curren e outros se ausentavam da etapa para denunciar e protestar contra o regime de segregação racial (conhecido como apartheid) que estava instalado naquele país. Muitos destes surfistas se ausentavam porque consideravam a si mesmos e suas carreiras menos importantes e a causa da dignidade humana e a igualdade entre seres humanos mais importante. Isso lembra um trecho da pregação e uma atitude de João Batista. Jesus Cristo iniciou seu ministério no auge do ministério de João Batista.

Multidões vinham ouvir a pregação de João e ser batizados por ele. João tinha até discípulos que o seguiam. Mas, quando seus discípulos começaram a seguir a Jesus, João disse “ele (Jesus) tem que ficar cada vez mais importante, e eu, menos importante” (João3.30). João descobriu e testemunhou uma das importantes dimensões da vida de fé em Jesus Cristo: mais Jesus e menos eu!

O que isso significa na prática?

Mais Jesus e menos eu, significa mais santidade e menos pecado; mais atitudes de Jesus e menos atitudes minhas; mais palavras de Jesus e menos palavras minhas; mais pensamentos de Jesus e menos pensamentos meus; mais sentimentos de Jesus e menos sentimentos meus; mais vontade de Jesus e menos vontade minha; mais caráter de Jesus e menos caráter meu.

Não é algo difícil de entender e nem é difícil perceber que para isso é preciso conhecer, num relacionamento pessoal, mais e mais a Jesus. Mas colocando essa verdade e prática de “mais Jesus e menos eu” diante do que se vive nos dias de hoje, essa não parece ser uma proposta atraente. As pessoas querem ser importantes; querem ser destaque; querem atenção para si.

Então, por que viver mais Jesus e menos eu?

  1. Porque é vontade de Deus: o apóstolo Paulo escreveu sobre isso aos Romanos (8.29), “aqueles que já tinham sido escolhidos por Deus ele também os separou a fim de se tornarem parecidos com seu Filho”, e aos Gálatas (4.19), “Meus queridos filhos, eu estou sofrendo por vocês, como uma mulher que tem dores de parto. E continuarei sofrendo até que Cristo esteja vivendo em vocês”.
  2. Porque isso remete ao plano original de Deus: “Assim Deus criou os seres humanos; ele os criou parecidos com Deus” (Gênesis 1.27). Ser mais Jesus e menos é ser um ser humano como Deus havia planejado.
  3. Porque é bom para nós e bom para os outros! Pensemos: as atitudes de Jesus nunca prejudicaram ninguém e as palavras de Jesus nunca machucaram ninguém… e as minhas? Os pensamentos de Jesus nunca foram fúteis e os sentimentos de Jesus nunca foram egoístas… e os meus? A vontade de Jesus nunca foi para o mal… e a minha? O caráter de Jesus nunca foi reprovável… e o meu? Quanto mais Jesus em mim e menos eu mesmo melhor será minha vida e melhor será a vida de quem convive comigo.
  4. Porque é testemunho do amor de Deus e convite para a salvação: O pregador Moody certa vez afirmou que “a vida do cristão é a bíblia do mundo”. Moody, como estudioso da bíblia sabia que é pela bíblia, no testemunho de Jesus, que Deus revela seu amor para com a humanidade e a oferta de salvação eterna. Moody observara que as pessoas não mais liam nem ouviam da bíblia e por isso não mais conheciam do amor de Deus por elas nem da salvação. E Moody desafiava o cristão viver como deve ser, segunda a vontade de Deus, com mais Jesus e menos eu, o mundo conhecerá Jesus por meio da vida do cristão.

“Ele tem que ficar cada vez mais importante, e eu, menos importante”, essa foi a meta de vida de João Batista. E veja o que Jesus disse sobre: “Digo-lhes a verdade: entre os nascidos de mulher não surgiu ninguém maior do João Batista; todavia, o menor no Reino dos céus é maior do que ele” (Mateus.11.11).

Essa é uma meta também para nós que confessamos crer em Jesus Cristo como Salvador e Senhor! Oremos diária, constante e sinceramente: “Senhor Jesus, mais de ti e menos de mim!”

 

Por: Marcelo Jung

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *