APARÊNCIA OU ESSÊNCIA ?

Pesquisando sobre o público que consome surfwear descobri, numa página do Sebrae, um dado muito interessante: 90% das pessoas que compram roupas de marcas de surf não praticam surf. Ou seja, em cada 100 pessoas que compram roupas de marcas de surf, 10 são surfistas e 90 apenas se vestem como surfistas.

Não tenho estatísticas para indicar algum número, mas conheço pessoas que, além de se vestir como surfistas, falam como surfistas, apresentam características de surfista, agem como surfistas, tem um estilo de vida de surfista… mas não são surfistas. Apenas parecem ser surfistas.

Para o mercado de surfwear isso não é nenhum problema. Ao contrário, é muito bom. O esporte é promovido. Porém, se fazemos uma analogia com a vida cristã, algo parecido é muito problemático.

Infelizmente, assim como há muitas pessoas que se vestem como surfista, que falam como surfistas, que tem características de surfistas, que agem como surfistas, que tem estilo de vida de surfista, que e parecem com surfistas, mas não são surfistas, há pessoas que tem características de cristãos, que cultivam valores e costumes cristãos, que falam uma linguagem cristã, que tem tradições e estilo de vida cristão, mas não são cristãs. Como assim?

Há pessoas que têm aparência de cristãos, ou seja, têm em suas vidas aquilo que os cristãos fazem – as atitudes, os hábitos, as tradições e os valores –, mas não têm essência de cristão, ou seja, aquilo que faz uma pessoa ser cristã: a fé genuína em Jesus Cristo, que é a confiança de que em Jesus Cristo, pela sua morte e ressurreição, recebemos o perdão dos pecados, a paz com Deus, a salvação e a herança da vida eterna, a adoção como filhos e filhas e Deus; e a vivência desta confiança que se dá pelo cultivo de um relacionamento pessoal, íntimo e constante com Jesus Cristo.

Por que isso é problemático?

Porque Deus não se deixa impressionar ou enganar por aparências. “As pessoas olham para a aparência, mas Deus vê o coração” (1 Samuel 16.7). O que conta para Deus não é aquilo que as pessoas fazem em Seu nome, mas aquilo que as pessoas são no relacionamento com Ele.

Mateus, no capítulo 7, versículos 21 à 23, registrou que Jesus disse: Não é toda a pessoa que me chama de “Senhor, Senhor” que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade de meu Pai, que está no céu.

Quando aquele dia (do juízo final) chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres! ” Então eu direi claramente a essas pessoas:

“Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal”.

Importante observar que as pessoas mencionadas por Jesus apresentam uma aparência espetacular: em nome de Jesus anunciaram a mensagem, expulsaram demônios e realizaram muitos milagres – fizeram muitas coisas que pessoas cristãs fazem. E Jesus reage falando da essência: eu nunca conheci vocês! Isso aponta que nunca tiveram um relacionamento de fé genuína, de confiança na salvação e de cultivo do relacionamento pessoal com Jesus. Faltava o que faz uma pessoa ser cristã. Faltava a essência.

É preciso cuidar com esta possibilidade de viver a vida cristã com aparência e sem essência, pois é justamente aí que nosso inimigo vai nos tentar.

Um detalhe da fala de Jesus é que as pessoas mencionadas por ele parecem estar contentes com a sua aparência e despreocupadas com sua essência. O que faz perceber que o inimigo não nos tentará nos desviando das atitudes, virtudes, hábitos e estilo de vida cristãos. Ele sabe que se nos tentar por aí, logo saberemos que é ele nos tentando e vamos resistir. Então, sua estratégia será nos fazer cultivar atitudes, virtudes, hábitos e estilo de vida cristãos, mas sem Cristo; sem um relacionamento de filiação para com Deus; sem intimidade com Jesus. Ele nos tentará a cultivar a aparência sem a essência… e nos tentará a ficar contentes e sossegados com isso; a pensar que com a aparência iremos para o céu. O inimigo nos tentará a pensar que “são os frutos que fazem a árvore”.

Prestemos atenção! Conversemos com o Senhor sobre isso! E façamos o que o apóstolo Paulo aconselhou:

Examinem-se para descobrir se vocês estão firmes na fé.” (2Coríntios_13.5a).

Quando a fé está no lugar certo, os frutos da fé aparecerão, pois “é a árvore que faz os frutos”.

A aparência não faz a essência. Mas onde há essência também haverá aparência.

Por: Marcelo Jung

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *