A remada de hoje é o surf de amanhã

Morando em cidade não litorânea e precisando de uma hora e meia de viagem para o pico mais próximo, logo encontrei, por aqui, um “brother de surf” para dividir as “barcas”.

Como tínhamos horário de trabalho parecidos, combinar “bate-e-voltas” era fácil. Logo, tínhamos um propósito, surfar, pelo menos, uma vez por mês. O que, durante algum tempo, deu certo.

Nestas barcas, tivemos o privilégio de surfar mares regulares e bons. Mas muitas vezes, depois de checar a previsão de ondas e clima, e constatar que teria condições, chegamos na praia com o mar muito ruim. Quando o pensamento de que a viagem não tinha valido a pena começava a fazer ninho na cabeça, meu amigo animava “a remada de hoje é o surf de amanhã!”.Pronto, em poucos minutos lá estávamos os dois remando solitários em mares com ondas muito prejudicadas… mas, muito felizes.

Tínhamos a esperança de que estávamos investindo no nosso surf futuro.Na vida cristã algo parecido acontece. Não são poucas as situações adversas em que somos animados a agir de forma positiva por causa de uma esperança:

  1. O apóstolo Pedro convida a vivermos praticando o bem, mesmo quando hostilizados, prejudicados e perseguidos por causa da esperança de que Jesus Cristo é Senhor dos Senhores e que, na sua volta, tudo lhe será subordinado, tantos os poderes humanos como os poderes espirituais deste mundo (1 Pedro 3.13-22).
  2. Paulo indica que podemos tratar com amor e paciência aos irmãos e às irmãs que “dão bola fora” e erram contra nós, por causa na esperança de que Jesus, no poder do Espírito Santo, está agindo em suas vidas e concluirá sua obra até o dia de Cristo (Filipenses 1.6-11).
  3. O autor da carta de Hebreus aponta que podemos abrir mão de prazeres e vantagens deste mundo por causa da esperança de que nada pode se comparar com o que está reservado aos que permanecem fiéis à Jesus Cristo (Hebreus 11.24-25).
  4. Jesus Cristo dá certeza de que se pode buscar o seu reino e a sua justiça como a prioridade da vida porque promete que as demais coisas, do sustento e das necessidades, Ele concederá (Mateus 6.25-34).
  5. Jesus Cristo dá coragem para abrir mão dos próprios interesses porque promete que quem buscar os Seus interesses terá vida verdadeira (Marcos_8.34-38).
  6. Jesus Cristo não nos deixa desanimar com a realidade da morte por causa da esperança de que Ele cumprirá sua promessa de ressurreição e vida eterna (João 5.24-25).

Relendo essas promessas de Jesus, nas quais somos convidados a colocar nossa esperança, parece que a vida cristã é feita apenas de adversidade e sofrimento. Não é assim. Há muita alegria em pertencer a Jesus
e viver com Ele. Mas não se pode esquecer que o caminho do discipulado é o caminho do próprio Jesus, é o caminho da cruz (Lucas 14.27); é o caminho que não está livre de sofrimento.

Para quando enfrentamos as adversidades e o sofrimento por causa da fé em Jesus, a frase do meu “brother de surf” pode nos lembrar de uma frase parecida que vem das Escrituras: “Para quem crê em Jesus Cristo, a adversidade de hoje é a vida plena de alegria de amanhã”.

Não desanimemos, mesmo em meio a dificuldades. Lembremos o que Paulo diz aos Romanos: Eu penso que o que sofremos durante a nossa vida não pode ser comparado, de modo nenhum, com a glória que nos será revelada no futuro. (Romanos 8.18).

 

Por: Marcelo Jung

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *